10 games de terror + aguardados para 2016-2017

Os fãs de jogos de terror têm tido muito o que comemorar ultimamente! Entre um ou outro lançamento sem graça e jogos tão esperados sendo cancelados (como P.T. e Allison Road, considerado o sucessor de Silent Hills), tivemos ótimos títulos anunciados, como Outlast 2, The Walking Dead da Telltale trazendo Clem de volta em sua 3ª temporada, We Happy Few, P.A.M.E.LA, The Forest…

Tenho certeza de que você já ouviu falar muito sobre esses lançamentos, então resolvi deixá-los um pouquinho de lado para falar de 10 outros títulos nos quais estou apostando minhas fichas para não desgrudar dos videogames até 2017! Alguns são pouco conhecidos, mas estou torcendo para serem agradáveis surpresas! :D Bora conferir os monstros, fantasmas, zumbis e mistérios que nos aguardam?!

Lembram quando falei aqui sobre o novo jogo que iam lançar do Sexta-Feira 13? Então, parece que outras pessoas tiveram a mesma ideia. Várias outras pessoas. Last Year, assim como Dead by Daylight (jogo lançado recentemente), segue as mesmas intenções do Friday the 13th: The Game: um jogo multiplayer 5×1 onde um grupo deve sobreviver ao jogador que estiver na pele do assassino, que por sua vez deve caçar todos os outros até que a última gota de sangue seja brutalmente derramada antes que eles consigam escapar (ou usar o trabalho de equipe para matar o assassino, o que deve ser muito mais complicado!).

Last Year tem previsão de lançamento para novembro desse ano e por enquanto está sendo desenvolvido apenas para PC, pelo Steam. Diferente de Dead by Daylight, Last Year parece seguir bem mais o terror do meu querido Jason, já que a história conta com um grupo de adolescentes colegiais (formado por todos os clichês que tanto amamos, hehe). Os desenvolvedores também citam o filme O Segredo da Cabana como uma das inspirações, então acredito que podemos contar com boas surpresas e espero que o jogo saiba se aproveitar de todos esses aspectos de filmes de terror para construir uma história interessante e ambientes com puzzles que não sejam repetitivos e cansativos.

 

 

Os fãs de Walking Dead terão mais um jogo para explorar o universo da série, OVERKILL’s The Walking Dead. Diferente do jogo da Telltale, esse game será uma experiência FPS co-op, com elementos de ação e survival horror em realidade virtual. A história será no mesmo universo, mas com novos personagens e enredos. Pelo material divulgado até agora, dá para perceber que o jogo tem uma pegada muito mais tensa e madura do que a série que acompanha a história de Clem.

Anunciado para PC, XboxOne e PS4, o jogo tem previsão de lançamento para 2017. A espera vai ser um pouquinho longa e por enquanto muitos detalhes ainda não foram divulgados, mas pelo jeito valerá a pena!

 

 

Duvida eu fazer você ficar com vontade de jogar esse jogo com só uma frase? Lá vai: o jogo é uma criação da DONTNOD, os mesmos desenvolvedores de Life is Strange e Remember Me. Só não ficou interessado quem não é fã de nenhum dos jogos, mas pra quem é, já pode dar gritinhos de fangirl/boy! Na E3 um novo trailer do jogo foi apresentado, narrado pelo protagonista, um vampiro que lamenta a gripe que assola a população e também sua maldição, que o faz viver um pesadelo, caçar para sobreviver e ser caçado por isso.

Vamos ter que esperar mais pra conferir a história de terror de vampiros que a DONTNOD tem para nos contar, pois o jogo só vai sair em 2017, para PS4, PC e XboxOne. Mas ó, tá bonito, tá intrigante, tá arrepiando de curiosidade!

Até onde uma mãe iria para salvar seu filho? Parece a premissa de The Park, mas não é. Em Through the Woods, o jogador vai entrar na narrativa de uma mãe que conta sua jornada pelas florestas norueguesas para tentar encontrar seu filho. O jogo é repleto de influências de mitologia nórdica e lendas da Noruega, e só pela demo já podemos sentir que essas lendas não eram belos contos de fadas. Os poucos minutos de jogo já serviram pra dar aquele cagaço, haha! Eu já estava fugindo nem sei do quê, sem coragem de olhar para trás!

A intenção dos desenvolvedores é fazer a floresta tão assustadora quanto ela pode ser para crianças, para ficarmos imersos nos terrores pelos quais o garoto pode ter passado. Mas que terrores são esses? Só vamos descobrir em outubro desse ano, quando o jogo for lançado para PC. Yep, só PC por enquanto. A demo pode ser baixada no site oficial dos desenvolvedores.

 

 

Tava na hora de um exclusivão de PS4 na lista, né?! Desenvolvido pela Giant Sparrow, What Remains of Edith Finch será uma coleção de histórias curtas sobre uma família amaldiçoada do estado de Washington. O jogador terá a oportunidade de viver na pele de diferentes pessoas da família e suas histórias, desde 1900 até os dias de hoje, e a única certeza que temos sobre todas essas diferentes histórias é que todas acabam com a morte daquele membro da família.

Toda essa exploração pela vida dos familiares é para ajudar Edith Finch a descobrir o porquê de ela ser a única pessoa de sua família viva, e o que está por trás dessa tal maldição. Com data de lançamento prevista para 31 de dezembro desse ano, o jogo só sai para PS4 mesmo, deixando todas as outras plataformas só na vontade!

 

 

Esse já é o meu queridinho desde que vi o trailer. Jackie Boy de Sons of Anarchy encontra zumbis. Mentira, mas é quase isso. Em Days Gone, outro exclusivão de PS4 anunciado na E3, acompanhamos Deacon, um motoqueiro andarilho sem leis e sua luta contra os perigos humanos em um mundo pós-apocalíptico e os Freakers, que são as criaturas do tipo zumbis, porém parecem ser muito mais complexas, com necessidades, hábitos e comportamentos – os quais o gamer vai ter que aprender e se adaptar. Fiquei curiosíssima pra saber o que isso significa!

Em um mundo livre para ser explorado, o jogo mistura diferentes ambientes em um único cenário, o deserto do Noroeste Pacífico. Estaremos lado a lado com Deacon desde florestas fechadas, áreas com perigosos vulcões até cidades rurais. Além da variedade de lugares, há também várias formas de interagir com o jogo e seus desafios, não há somente uma forma correta de resolver alguma coisa, o que permite que o jogador “jogue do seu jeito”, como o site do jogo diz. Crie armas, personalize suas habilidades, explore carros e prédios abandonados atrás de itens… Tudo isso enquanto lida com as intensas emoções de ser um dos sobreviventes, tendo que lidar com as qualidades e defeitos humanos: perda, loucura, amizade, traição, amor, arrependimento, desespero… Mais do que sobreviver aos Freakers, o jogador terá que saber como não perder as esperanças diante de tantas tragédias. Fala aí se esse jogo não vai ser fu di do! E o que é melhor: fazer tudo isso dirigindo uma motoca louca por aí, hehe!

Ainda não há uma data oficial certa para o lançamento, mas alguns sites divulgam que o jogo sairá em 26/12/2017 e só para Playstaion 4. De tanto que vai demorar, já vai dar pra juntar uns dinheirinhos pra garantir o meu console até lá (procurando lados positivos pra não chorar haha)!

 

 

Song of Horror também foi paixão à primeira vista. Eu curto os survivals horror principalmente quando são inspirados nos old-schools, aqueles dos anos 98, 99, 2000 (os primeiros silent hill e resident evil, dino crisis, parasite eve, alone in the dark, rule of the rose, etcetc). E foi isso a primeira coisa que me chamou a atenção nesse game. Vi alguns gameplays da demo desse jogo, me empolguei e… Nunca mais vi nada sobre. Então fui procurar, e vi que depois de campanhas frustradas para juntar fundos, felizmente e surpreendentemente o game vai sair, sim!

Prometendo uma experiência digna de filmes de terror, o game vai trazer 16 personagens jogáveis que serão arrastados para histórias e enfrentarão o desconhecido junto com o gamer. O bacana é que as mortes serão definitivas desde o começo: cada personagem só terá uma chance e, se morrer, outro personagem assumirá seu lugar. Já começa tenso, hein? Quer deixar pior? E se eu te falar que não tem save points, a não ser que você saia do jogo ou termine um dos capítulos? Exigente, mas adiciona ainda mais terror ao jogo. Todo o conceito é genial, com foco nos mistérios e na exploração para a resolução dos desafios.

O site prevê o lançamento do jogo para o fim desse ano, e por enquanto sairá apenas para PC, mas pretendem chegar a quantas plataformas for possível com o tempo.

 

 

Esse é pra quem curtiu a premissa do filme Hush! Mas, dessa vez, em vez da barreira ser a surdez, Carrie, a personagem principal, é cega. O jogo a acompanha enquanto Cassie explora uma casa mal-assombrada e com um conceito confuso de tempo e espaço. Utilizando seu aguçado sentido de Ecolocalização (“capacidade biológica de detectar a posição e/ou distância de objetos (obstáculos no meio ambiente) ou animais através de emissão de ondas ultrassônicas”), Carrie consegue sentir o mundo ao seu redor, mas é claro que esse poder cobra seu preço, uma vez que, ao utilizá-lo muito, Carrie acaba atraindo “a Presença”. Para fugir da tal “Presença” não há armas, e o jogador terá que se esconder, correr ou encontrar formas de distrair a coisa.

Os desenvolvedores definem o jogo como um pega-pega, uma brincadeira de gato e rato. E a equipe por trás de tudo isso é formada por alguns dos nomes que trabalharam em Bioshock e Dead Space. Vem coisa boa por aí! Por enquanto, o jogo sairá apenas para PC, a pré-venda já está aberta, mas a data de lançamento (que era para ter sido em junho desse ano) ainda será anunciada.

 

 

Eita, e não é que tem mais um exclusivão do Playstation 4 por aqui? Here They Lie promete ser uma experiência aterrorizante para o PS4 e o PS VR, com foco na narrativa e na experimentação do terror, diferenciando-se dos jogos de survival horror aos quais estamos acostumados. A intenção é te colocar como o protagonista de um filme de terror, tornando tudo ainda mais assustador. Os criadores miraram em um terror surreal, psicológico e existencial, com um constante clima de perigo e tensão. Será que vão acertar em cheio?

Os filmes citados como inspiração não deixam de deixar tudo ainda mais interessante, como It Follows (A Corrente do Mal) e The Shining (O Iluminado). Tem como errar com terror Kubrickniano? Espero que não! Ainda sem uma data definida, o jogo está prometido para o último trimestre de 2016.

 

 

O que dizer desse jogo que conheço tão pouco mas já considero pacas? É impossível não se apaixonar pela demo de RE7, e acho pouco provável que vocês não conheçam, pois vídeos de gameplays e teorias estiveram por todo lugar desde que a demo foi lançada para PS4. Por semanas gamers revoltados e frustrados tentaram enfiar um maldito dedo de manequim por todo o cenário do jogo, em todas as linhas de tempo possíveis, sem sucesso. Para quem ainda não viu nada sobre a demo, vá assistir a um gameplay agora para entender a última frase, haha!

Depois de tanto rebuliço, .eis que surge uma esperança para nós de um jogo que “repita” as sensações e experiências de P.T. Mas calma, fã da série Resident Evil. Parece que o jogo mudou totalmente o foco junto com a perspectiva, mas não teremos assombrações no lugar de zumbis. Tudo será explicado com o tempo, garante a Capcom. Ainda estamos bem no comecinho, mas já estamos loucos por mais!

O jogo já tem uma data certa de lançamento, dia 27 de janeiro de 2017, e sairá para PS4 (com suporte para VR), XboxOne e PC. Enquanto isso, Capcom, faça o favor de lançar novas demos pra não deixar a gente chupando esse dedo de manequim!

 

 

Enganei vocês, era para ser só 10, mas não podemos deixar Death Stranding de fora, por mais que ainda seja um tiro no escuro. Ainda não foi revelado muito sobre o jogo para afirmar com certeza que será um jogo de terror, mas é como ele tem sido chamado desde que foi revelado na E3, o novo survival horror do Kojima. Por enquanto não tem o climinha de ataque cardíaco de P.T., o falecido Silent Hills, mas tem Norman Reedus com o bumbum de fora e tem Kojima. E bizarrices e mistérios suficientes no trailer para deixar os fãs ocupados com teorias até descobrirmos mais sobre o game!

Nerd: Evelyn Trippo

I just have a lot of feelings, e urgência em expressá-los. Aspirante à escritora e estudante deslumbrada de Letras - Tradução. Pára-raio de nerds, exploradora de prateleiras em sebos e uma orgulhosa crazy pet lady.

Share This Post On