A evolução (minha e) da CCXP

Fala Khalasar, beleza?

Há quase 1 mês acontecia a terceira edição da Comic Con Experience. Um evento novo, mas que já conquistou corações.  Me lembro muito bem quando o anúncio da primeira edição foi feito e pra mim, que estava no início do site (com apenas 1 ano), foi um verdadeiro presente.

Justamente por estar no início, eu era “cru” em muitas coisas. Tive um site de produção de eventos e coberturas fotográficas por mais de 10 anos, então já estava acostumado com a parte da imprensa, mas ao mesmo tempo havia algumas especificidades relativas ao mundo geek / nerd que não funcionam exatamente como uma balada.

Carlos Carvalho (Novo Nerd), Sean Astin

Carlos Carvalho (Novo Nerd), Sean Astin

Além do mais, tem o seu lado fã que vez ou outra quer falar mais alto né? Então no meu primeiro ano de CCXP, eu acredito que não curti tudo o que poderia ter curtido por 2 motivos:

  1. Fui liberado para apenas os 2 primeiros dias pelo Novo Nerd
  2. Tentei participar de todos os painéis possíveis

O motivo número 1 é algo que hoje utilizo para incentivar as pessoas que estão começando. Não que o site hoje seja lá grande coisa, mas depois de muito esforço conseguimos um espaço. Mas fica a lição: todo mundo começa pequeno e recebe muitos ‘nãos’.

No primeiro ano que tentei uma cobertura na BGS, tive o pedido negado. No primeiro ano de CCXP, tive acesso somente a Quinta e Sexta-feiras do evento. Várias promessas de pessoas e empresas para conseguir convites para o Sábado e Domingo, mas ficaram nisso mesmo. E isso é assunto para um outro post. Mas o que quero deixar de dica é: os organizadores tem que fazer uma seleção para quem quer fazer cobertura. E se você não foi liberado, ou não conquistou o que queria, continue mostrando trabalho pra chegar onde quer!

Já o motivo 2: eu queria porque queria ver o máximo de painéis! Ver as novidades (que devo confessar, não foram tantas no primeiro ano de evento) e estar ali ao vivo, ouvindo a galera falar sobre seus projetos, respondendo perguntas. Eu tive a sorte de não precisar enfrentar filas, pois neste ano era liberado uma pessoa por veículo em qualquer painel.

Panda e Cris (Coxinha Nerd), Carlos Carvalho (Novo Nerd), Carol Costa (atual IGN, na época Papo Geek) e Luigi (Papo Geek)

Panda e Cris (Coxinha Nerd), Carlos Carvalho (Novo Nerd), Carol Costa (atual IGN, na época Papo Geek) e Luigi (Papo Geek)

Assim, eu me diverti, mas não pude vivenciar o evento em todo o seu potencial. Não posso nem me pronunciar sobre sala de imprensa porque eu sinceramente nem procurei alguma neste ano. Eu estava tão empolgado por estar lá, que me virava com qualquer tomada que achava e destruí meu 4G (que sempre funcionou, ainda bem).

Já em 2015, eu pude ir nos 4 dias, mas uma gripe maldita me derrubou no último deles. Foi épico, pois fiz meu primeiro cosplay (Mad Max) e foi delicioso viver esta experiência. As pessoas parando para pedir fotos, perguntando como foi o processo (que no meu caso, devo tudo ao Júlio e a Caline) era algo de outro mundo.

Neste ano eu fui e necessitei muito da sala de imprensa, que acredito ter sido o ponto fraco do evento para quem trabalha com isso. Era um lugar MUITO pequeno, que não comportava nem 1/3 dos profissionais e sem internet. E aí, a gente se vira como pode né? E dá-lhe 4G e disputar tomadas. O estande da Netflix já estava destruidor e a insanidade (dos outros) pelos painéis só aumentou.

Tentei dosar melhor entre o “passeio” nos estandes e os painéis.

Em 2016, a CCXP evoluiu muito, e eu também. Decidi que iria aproveitar da melhor maneira! Iria sim tentar criar um conteúdo relevante, com fotos, vídeos e textos nas mais variadas redes sociais, mas que não ia me matar para tentar “contar as novidades”, afinal, o Omelete realiza o evento né? Quem melhor do que eles para difundir as novidades anunciadas? Me concentrei em fazer o que faço de melhor: opinar!

Desta maneira, eu puder conhecer muitas pessoas, conversar, ter ideias e principalmente, mostrar para quem não podia estar lá, um gostinho de tudo isso. Nem todos, infelizmente, têm condições para ir até o evento. Outros ficam na dúvida se vale a pena gastar o seu dinheiro suado por 1, 2, 3 ou 4 dias lá. Não vou entrar no mérito do valor, mas sim em curtir a experiência: se você está lá, curta muito! Se você viu tudo o que foi mostrado lá e sentiu no seu coração que precisa estar no meio daquelas pessoas, então vá.

Leandro Pinto, Beatriz Napoli e Carlos Carvalho (Equipe NN 2016)

Leandro Pinto, Beatriz Napoli e Carlos Carvalho (Equipe NN 2016)

O fato é que a CCXP já é reconhecidamente um dos maiores eventos da cultura nerd / geek do mundo. É o lugar perfeito para encontrar pessoas que amam as mesmas coisas que você, e para conhecer novas paixões. E não importa se você é da imprensa ou visitante, cabe a você aproveitar tudo da melhor maneira possível. As possibilidades estão lá, você só precisa aproveitá-las.

PS: a sala de imprensa esse ano melhorou. Um pouco. Mas me diverti absurdo com o público e com os companheiros de profissão. =)

Quer ver como foi a CCXP? Confere o segundo vídeo do VLOG que fizemos:

Não esqueça de se inscrever na nossa Mail List colocando seu e-mail abaixo!

Nerd: Carlos AVE César

EXAGERADO! Jogado aos seu pés, eu sou MESMO EXAGERADO! Filho único, egoísta, mimado e mal-humorado. Produtor de Eventos, Engenheiro de QA e butequeiro! Buscando CONHECIMENTO, com cachorro-quente e guaraná. Também sou a personificação da Vingança! Twitter: @ONovoNerd Facebook: http://www.facebook.com/carloscesarcarvalho

Share This Post On