A Lei da Noite – Crítica

E ai, gente?! Tudo bem?

Por aqui está tudo tranquilo!

Bom, hoje eu venho contar a vocês sobre o novo filme do Ben Affleck: A Lei da Noite.

Sim, fomos convidados para ir à cabine e eu tenho bastantes coisas para dizer acerca deste filme: a primeira é que eu já não me simpatizo muito com o Ben Affleck, acho ele meio prepotente em suas escolhas e a segunda é que eu estudo adaptação e acho mais difícil você adaptar um texto do que escrever um original, mas vamos lá!

live-by-night_2

O longa é baseado em um livro chamado “Os Filhos da Noite”, que eu nunca li, mas pelo que eu perguntei e pesquisei por ai é um livro bem grosso que contém várias tramas no desenrolar da história, e que o Ben Affleck resolveu adaptar todas no filme!

Cara, é muita coisa! E mesmo que eu não soubesse que se tratava de uma adaptação específica, assistindo ao filme é notável o exagero de informação para a quantidade de tempo visto na tela. Eu não quero dar spoiler mas, o protagonista do filme vive dois romances, muda de “profissão” CINCO vezes, arranja muitos inimigos e treta com todos eles! E não é um filme sobre assuntos leves, é uma história mafiosa, o conteúdo é denso.

É contada a vida de um cara nascido nos EUA, de origem irlandesa, que foi um soldado do exército estadunidense na 1ª Guerra Mundial e depois entra pro crime de maneira que faz a vida dele ter uma verdadeira ascensão.  A história é muito boa! Eu quero muito ler o livro! É do mesmo autor, Dennis Lehane, que escreveu  “Paciente 67″, que o Scorsese adaptou para o incrível  “Ilha do Medo”; “Sobre Meninos e Lobos”, que o Clint Eastwood arregaçou; e também o “Medo da Verdade” que o Ben Affleck mandou muito melhor do que agora.

Além de atuar no papel principal, o Ben Affleck é o diretor, roteirista e assina a adaptação geral e ao meu ver ele quis abraçar o mundo, mas os braços não deram conta (é por isso que eu acredito na prepotência deste mocinho)!

O que eu quero dizer é que o conteúdo é muito bom, tinha tudo para dar muito certo, como uma vez já deu, mas não rolou.

live-by-night

Como disse anteriormente eu acredito que ele deveria ter focado em um dos períodos da vida da personagem Joe Coughlin, pois são contados 10 anos que ele viveu muito intensamente, se ele focasse em uma das tramas o ritmo da película seria bem mais confortável e interessante.

A interpretação dele eu achei um tanto caricata, sei lá, parecia que ele queria imitar o Don Corleone, ficou estranho, sabe?!

Bom, eu não gostei. O filme não é ruim, mas é chato de se assistir. Confuso! Acho que a trilha sonora tinha que ser mais impactante. Estamos falando sobre máfia, irlandeses…Saudades Scorsese e Copola!

Enfim, pode ser pirraça e birra minha por não ir muito com a cara do nosso polivalente galã de Hollywood, mas para mim o Oscar subiu à cabeça dele e o fez acreditar que poderia dominar o mundo! Hahahahaha

Em minha defesa, meus amigos também não gostaram, e eles amam Argo e acham o Ben Affleck um cara legal! ;)

A Lei da Noite estreia hoje em todo Brasil.

Nota-do-crítico-3

 

Não esqueça de se inscrever na nossa Mail List colocando seu e-mail abaixo!

Nerd: Natalia Contave

Natalia Contave, sou eu! A maluca com tatuagem de Harry Potter que ama cinema e literatura, e quando junta os dois, fica melhor ainda! Trabalho escrevendo, me divirto escrevendo, então, vamos fazer isso! Veremos uns filmes, leremos umas coisinhas e depois conto tudo por aqui! ;)

Share This Post On