Crítica: Caminho da Liberdade

Fala Khalasar, beleza?

Uma das coisas que me motivou a criar o site, foi que eu adorava criticar filmes (entenda, fazer críticas e não falar mal). E percebi que faz muito tempo que não faço, então resolvi tomar vergonha na cara e voltar as origens.

Semana passada resolvi assistir a “Caminho da Liberdade” (The Way Back) na nossa querida Netflix. Adoro filmes que retratam guerras, e mais ainda inspirados em histórias reais. “Caminho da Liberdade” além de ter esses elementos conta a presença de 2 atores que acho fenomenais: Jim Sturgess (Quebrando a Banca) e o grande Ed Harris (dispensa apresentações né?).

caminho da liberdade

Contar uma história de uma viagem de mais de 6 mil KM, começando a partir uma fuga de uma prisão na Sibéria durante a Segunda Guerra Mundial, até a redenção em um vilarejo no Himalaia em 2 horas de filme não é uma tarefa fácil. Talvez por isso, o maior “erro” do filme é ao deixar algumas pontas soltas ou mal-resolvidas. Por se tratar de um filme baseado em história real, senti falta da cena “clássica” no fim do filme que conta o que aconteceu com os personagens. Me senti meio perdido, e “órfão” dessas informações, pois depois de ver toda a luta pela sobrevivência eu queria saber se cada um conseguiu realizar os desejos que tinham.

Tirando este detalhe, é um filme que além de mostrar as perversidades que uma guerra causa, demonstra a força de vontade que algumas pessoas possuem dentro de si. Algo que acaba encorajando e contagiando outros que sozinhos, talvez, não tivessem forças para acabar realizando. Demonstra também que apesar das adversidades e da maldade encontrada pelo caminho, existe espaço para acolher e fazer o bem ao seu próximo, mesmo que você não tenha motivos algum para fazer isso.

É interessante ver as alianças que podem acontecer entre pessoas que fora daquele contexto, talvez nunca olhassem na cara uma das outras, o que nos leva a pensar como o pré-julgamento de algo ou alguém pode impedir que belas amizades ou acontecimentos sejam possíveis.

O filme ainda conta com Colin Farrell que faz um papel até bom (nunca sei se gosto ou não gosto dele como ator) e Saoirse Ronan (que comemorou seu aniversário durante as filmagens).

É um filme que vale a pena que você se encoste no sofá e dediquei seu tempo a ele.

Isto fica feliz em ser útil!

Nerd: Carlos AVE César

EXAGERADO! Jogado aos seu pés, eu sou MESMO EXAGERADO! Filho único, egoísta, mimado e mal-humorado. Produtor de Eventos, Engenheiro de QA e butequeiro! Buscando CONHECIMENTO, com cachorro-quente e guaraná. Também sou a personificação da Vingança! Twitter: @ONovoNerd Facebook: http://www.facebook.com/carloscesarcarvalho

Share This Post On