Dia do Dublador | Versão brasileira…

Fala aê Nerdaiada! Tenho certeza que vocês tem AQUELA voz que é identificada independente de onde esteja, mesmo não sabendo quem é seu dono. Quem nunca brincou de dublar seu personagem ou artista favorito pelo menos uma vez na vida que atire a primeira pedra! Pegar uma escova de cabelo e fingir ser o vocalista da sua banda preferida em frente ao espelho, colocar aquela frase daquele filme - Luke, i’m your father – e se sentir o próprio personagem falando.

Quem nunca terminou aquela saudosa frase da sessão da tarde ou da Rede Manchete? – Versão brasileira…- por esses e outros motivos que no dia 29 de junho é comemorado o dia do dublador.

A dublagem está nos nossos corações,  não é pra menos, ela remete aos primórdios do cinema. Até 1925 os filmes eram todos mudos, os Primeiros_filmes_dubladosdiálogos entre os personagens eram todos feitos por plaquetas, com o crescimento do cinema os filmes começaram a ser exportados para todos os lugares do mundo, e aí o problema da linguagem apareceu, como adaptar a língua do filme para o país onde estava sendo transmitido? Foi assim que a dublagem nasceu.

Com o passar dos anos este recurso ajudou a resolver vários entre outros problemas como tomadas externas, sotaques ou entonação de atores (procurem o áudio original do primeiro filme do Arnold Schwarzenegger, ou a voz original do ator que interpretou Darth Vader, David Prowse), sem falar que também elevou a qualidade sonora dos filmes.

Aqui no Brasil – como de costume – os equipamentos e tecnologia eram bem ultrapassados para a época, estávamos atrás até na gravação de discos, imagine para uma técnica nova como a dublagem. O compositor Carlos Alberto Ferreira Braga (Braguinha) fez as composições e dirigiu a equipe de dublagem da animação “Branca de Neve e os 7 anões”, equipe esta que contava com nomes de peso como Aloysio de Oliveira, Ênio Santos, Orlando Drummond - Sim, o “Scooby Doo” já dublava - entre outros nomes, por conta dessa equipe super talentosa os obstáculos foram superados e a dublagem do filme foi muito elogiada.

Dados_Filmes_Dub_2014

Fonte: FilmeB

Com um passado desse não é atoa que nossa dublagem seja uma das melhores, apesar de muita gente reclamar e pedir o áudio original  - entendo totalmente – a dublagem nacional não deixa de ser ótima, e o mercado vem crescendo muito rápido. O que alavancou a dublagem foram as animações, e o que ajudou a cimentar foram os animes na década de 90, apesar de hoje em dia a grande maioria preferir assistir as animações nipônicas no áudio original.

Toda essa aceitação nos trouxe aos dias de hoje onde grande parcela da população prefere assistir aos seus filmes e séries dublados, alegando que conseguem prestar mais atenção ao que acontece na tela, ou pelo simples fato de acharem as vozes nacionais melhores mesmo (vai dizer que não prefere o Finn e o Jake daqui?). Essa demanda reflete nas salas de cinema, onde cada vez mais existem sessões na versão dublada (muitas vezes até mais que a legendada), ver a um filme dublado não é mais sinônimo de falta de conhecimento, aliás, em países como a Alemanha, Espanha e Itália é muito difícil encontrar uma sessão legendada nos cinemas.

E é claro que não seria apenas o Cinema e a TV que iria se propiciar das técnicas de dublagem, a indústria dos games a recebeu de braços Primeiro_Jogo_Dublado_PTBRabertos. No começo tínhamos dublagens bem “canastronas“, mas com o passar dos anos elas alcançaram a qualidade dos meios tradicionais ou até passaram, como exemplos atuais temos The Witcher 3, Last of Us, Halo, Overwatch, entre outros.

Nem tudo são flores, uma dublagem sem treinamento e supervisão necessárias é capaz de despertar a fúria dos fãs (até daqueles que preferem o áudio original), exemplos disso foram as vergonhas alheias em questão de dublagem Mortal Kombat X e Battlefield: Hardline , jogos que contaram com a dublagem respectivamente da cantora Pitty e do vocalista da banda Ultraje a Rigor, Roger. 

Como esquecer pérolas como “eu vou equalizar a sua cara” da cantora ou a falta de interpretação do cantor. A culpa não é deles, gosto de pensar que fizeram o melhor possível, mas esse tipo de coisa só evidência que dublagem não é brincadeira, é um processo bem complexo que para se obter um resultado bom precisa de profissionais bem instruídos e dirigidos, e por falar em brincadeira…

batimanA dublagem e a zoeira se apaixonaram e tiveram um filhinho, esse filhinho se chama redublagem. Um dos primeiros e mais conhecidos produto nacional é o “Batima Feira da Fruta”, um episódio do seriado da década de 60 que teve todo seu áudio redublado por Fernando Pettinati e Antônio Camano, com passagens icônicas como:

BatimaA sua mãe e sua mulher são duas putas, comissário. Eu não queria falar nisso, mas… a verdade é essa. São duas putas pagas”,

Batima: Robin, você é um garoto! Não f… pode ficar falando palavrões! Você é um menino ainda!
Robin: Não enche o saco, porra! Merda!”

“CuringaHein?… Minha filha, vem cá!… Sabe o que é isso aqui, minha filha?… Isso aqui é pá amolecê pintu, isso aqui cai pintu! É um lico que cê passa na cabeça do pau…”

Quem não se lembra do Tela Class, quadro do Hermes e Renato, que nada mais eram que redublagens de filmes. O que nos traz aos dias de hoje, onde os maiores sucessos da internet são redublagens ou montagens de vídeos com áudios de outros, que ficam sempre muito engraçados (o que dizer das montagens com o vídeo do Bambam na academia?).

Desculpa, o Ricardo é nosso amigo!

Desculpa, o Ricardo é nosso amigo!

A brincadeira foi tão longe que tiveram pessoas que criaram um abaixo assinado pedindo para que o Ex-BBB duble Kratos em seu mais novo jogo, claro que isso não foi aceito por quem gosta do personagem e leva o jogo mais a sério, então criaram uma outra petição pedindo o dublador original do personagem, Ricardo Juarezum baita de um profissional. Claro que a petição pedindo o Kléber Bambam nada mais era que uma outra brincadeira, mas ver o Ricardo dublando o espartano novamente é uma ótima ideia, e se quiserem colaborar com a petição, basta clicar aqui.

Agora se Dubsmash é coisa de amador para você e está afim de se aprofundar no negócio, saiba que existe uma Universidade de Dublagem, fundada pelos irmãos Bezerra (Wendel Bezerra e Ulisses Bezerra), que dão vozes ao Goku e Shun, respectivamente, entre outros. A Universidade tem cursos livres de dublagem para adultos e crianças, mas CUIDADO, um adulto que faça o curso ainda não pode dublar profissionalmente, ele ainda precisará ter um registro profissional de ator, o “DRT”.

E antes de me despedir, deixo vocês com algumas pérolas da dublagem Portuguesa em DBZ:

É…poderia ser bem pior! Até mais nerdaiada!

Nerd: Leandro

Padawan de jornalista, 25 primaveras e acredita que todas as Tekpix são na verdade Decepticons à espera de uma ordem da Skynet para acabar conosco!

Share This Post On