E3: God of Us? Por que mudanças em GoW eram tão necessárias

Fala aí nerdaiada! A Sony não poupou esforços para nos impressionar na E3 deste ano, sua apresentação não foi tão extensa quanto a dos concorrentes, mas, como podemos dizer…foi um soco no estômago! Não tivemos tempo de respirar, e o primeiro golpe foi um dos principais a nos deixar atônitos, e a Sony fez questão de construir todo um clima para isso.

Com uma orquestra enorme e ao som de uma música que parecia algo tribal, ele voltou. Boatos já eram espalhados há muito tempo, afinal, após matar todo mundo não tinha muito o que fazer e a primeira suposição era a mitologia nórdica. Assim que vimos aquele garoto brincando, aquele cenário gelado, já sabíamos o que estava por vir…sim meus amigos, Kratos retornou!

Kratos_NovoGoW

 

Com um gameplay de 10 minutos fez todos perderem o ar, tanto pela emoção da “surpresa”, afinal a Sony não tinha feito nenhum alarde sobre este retorno, quanto a certas mudanças que foram implementadas no jogo, sendo MUITO comparado a The Last os Us. Apesar de vários elementos que remetem ao personagem estarem presentes - a pele pálida, a marca vermelha, a cicatriz na barriga – temos muitas coisas diferentes, e não é apenas a barba e seu semblante mais velho, o fantasma de Esparta retornou, mas não da forma como esperávamos e vamos ver aqui o porque disso ser maravilhoso!

 

De pertinho

camera_novo_GoW

As comparações não eram para menos, a primeira coisa que percebemos quando o gameplay começa é a câmera, conhecida como “over the shoulder“, bem mais próxima do personagem e muito parecida com Last of Us mesmo.

Com essa nova câmera teremos a possibilidade de ver cada detalhe dos inimigos, mapas e equipamentos, bem diferente do modelo antigo, onde tínhamos algo estático e distante, priorizando a plasticidade dos combos e séries que Kratos fazia.

Acredito que a mudança de visão também tenha sido por conta do nosso novo companheiro, o filho do Kratos. Por ele estar sempre conosco a antiga câmera não iria ajudar, isso também é diretamente ligado ao relacionamento dos dois e também com o jogador. Agora vemos o que Kratos vê e temos uma proximidade maior com ele (literalmente), não sendo apenas um personagem que está ao longe estripando outros (apesar de ser bem legal também!).

Porrada nua e crua!

GOW_PorradaVinculado totalmente a ideia da nova câmera, o combate foi o que mais foi alterado e “chocou” os fãs. Sem mais aquelas sequências e combos intermináveis, no trailer podemos ver algo muito menos “plástico” mas MUITO mais visceral, a porrada come seca e sem frescura.

Cada golpe é sentido, principalmente quando Kratos deixa de lado o machado e parte para a luta com os punhos. Acredito que os motivos que levaram os produtores a mudarem o combate foi a presença do garoto (afinal, fazer todos aqueles movimentos com as Blades os Chaos tendo um companheiro ao seu lado não é nada seguro) e também pela própria idade, Kratos está bem mais velho e cansado, mas se engana quem pensa que só por isso o jogo não terá gore, muito pelo contrário!

Gore_GoW_E3

Sim, este é Kratos partindo um inimigo pela metade com seu machado.

Família ê, família a, família…

GoW_E3_Kratos_e_seu_FilhoO ponto alto e a chave deste trailer, a principal conexão que despertou a comparação com The Last of  Us foi o relacionamento de Kratos com seu filho. Pelo que foi mostrado, dá a entender que o espartano não participou ativamente da criação do menino. Parecem não se conhecerem muito, então não sabemos se ele é filho de sangue de Kratos (dado ao número de mulheres que ele já teve relação, não seria nada estranho) ou se ele adotou o garoto, já que tudo indica que a mãe morreu.

Na gameplay podemos ver esse processo de aproximação e aprendizagem, cada ação que realizamos com o garoto (encontramos rastros, caçamos) ele ganha certo nível de experiência, sendo que depois habilidades novas serão desbloqueadas, os próprios produtores já deixaram bem claro que o moleque vai ser peça fundamental na jogatina, podendo o jogador moldá-lo ao seu estilo de jogo, uma forma muito legal e criativa de demonstrar que o menino está aprendendo algo. Aprender é a palavra motriz do jogo, Kratos vai aprender a ser um pai e um ser humano melhor, e o garoto vai aprender a ser um guerreiro (e por que não) um Deus.

A Sony percebeu que apesar da franguia God of War ser uma mina de ouro, seu personagem principal não tinha tanta profundidade (convenhamos, Kratos é legal, mas ele se resumia em vingança, sangue e sexo) o que dificultava fazer um enredo elaborado ou transportá-lo para outras mídias (quem nunca quis um filme da franquia, não é mesmo?).

É um novo começo para God of War, e pelo trailer podemos ver que começaram muito bem, o jogo promete uma imersão e identificação muito grande com os personagens. Ele bebeu sim da fonte de The Last os Us, mas manteve sua identidade, é o mesmo God of War, mas com uma visão diferente em todos os aspectos! Que venha Valhalla!

Mas o que vocês acharam desta nova proposta? Deixem nos comentários suas opiniões!

Nerd: Leandro

Padawan de jornalista, 25 primaveras e acredita que todas as Tekpix são na verdade Decepticons à espera de uma ordem da Skynet para acabar conosco!

Share This Post On