O Estranho Que Nós Amamos

O filme O Estranho Que Nós Amamos (The Beguiled) é uma refilmagem de 1971, com Clint Eastwood, Geraldine PageElizabeth Hartman. E que chegará aos cinemas em breve.

O estranho que nós amamos 05A história se passa durante a guerra civil dos Estados Unidos, entre a Confederação e a União. Quando uma garota (Amy) anda pela floresta à procura de cogumelos, ela encontra um soldado da União ferido, que havia desertado e fugido para tentar se salvar. Ela resolve ajudá-lo e o leva para a escola onde reside, ali perto.

O estranho que nós amamos 02É uma escola para garotas na Virginia, e no ano de 1864, devido à guerra, a maioria das estudantes e dos escravos já haviam fugido de lá. Apenas professoras e 5 garotas ainda ali residiam. E quando Amy leva o soldado John McBurney, há uma comoção e todas as garotas ficam assustadas. Martha Farnsworth está no comando da escola e decide salvar a vida do soldado tratando de sua perna gravemente ferida. Apesar das garotas falarem para o entregarem para os soldados da Confederação, Martha resolve acolhe-lo até que sua perna melhore, pois se o entregasse naquelas condições, ele provavelmente morreria nas mãos dos soldados.

Apesar do susto e medo iniciais, por se tratar de uma escola somente de mulheres que fica isolada, elas se interessam pelo rapaz e gradativamente ficam mais atraídas por ele. Ao mesmo tempo, ele se vê rodeado por bonitas mulheres, e usa seu charme e simpatia para tentar conquistá-las. E conforme o passar do tempo, tenta ter relações com todas as professoras e com Alicia (uma das estudantes mais velhas).

O estranho que nós amamos 03Trata-se de um filme sobre desconfiança, compaixão, descobertas, interesses, ciúmes, traições e medos. Em relação a versão anterior, de 1971, este é mais focado na parte de compaixão, compreensão, sedução e traição. Seu antecessor, havia mais foco no conteúdo sexual -  havia cenas de sexo e tentativas de forçar as moças à fazerem sexo, sendo que na versão de agora apenas há duas cenas em que mostra que está rolando alguma coisa, mostra-se pouca coisa – e o impacto que isso poderia causar. Além de que na versão de 1971, dava-se ênfase na questão de escravos e a interação com eles, e agora, eles são apenas mencionados, não aparecem.

O estranho que nós amamos 04Em questão de enredo e visual, o filme me agradou bastante, conseguiu me entreter e prender a minha atenção. Os cenários são bem trabalhados e bonitos, e apenas em alguns momentos ficou desconexo e um pouco estranho em relação à coerência. Como por exemplo, quando ele sai de seu quarto durante a noite e faz bastante barulho, mas apenas uma pessoa o ouve. Mas talvez seja apenas eu sendo crítico demais rs.

O modo como as coisas se desenrolam, foi de meu agrado e como um todo, é um bom filme. Então recomendo que assistam, e uma boa sessão!

Nota-do-crítico-4

Entre para o nosso grupo no Telegram
Participe de sorteios EXCLUSIVOS colocando seu e-mail abaixo:

Nerd: Guilherme Vares

Formado em Ciências da Computação e Pós em Jogos Digitais, aspirante à Game Designer, tendo Rpg e boardgames injetados diretamente na veia, adepto de jogos em geral e voraz consumidor de livros, séries e filmes.

Share This Post On