Resenha de Livro | O Jogo do Exterminador

Imagine o futuro da raça humana nas mãos de um garoto de apenas 6 anos. Essa é a premissa de O Jogo do Exterminador (Ender’s Game), de Orson Scott Card.

Em 2164, a Terra já passou por duas guerras contra os Insecta, raça alienígena que por muito pouco não acabou com os humanos. Agora na tensão de uma terceira invasão, o exército americano monitora quem seriam os prováveis comandantes que defenderiam nosso planeta.

endersgame_featA principal aposta é Ender, um gênio das estratégias militares de apenas 6 anos de idade. Ender é um Terceiro (os casais podiam ter no máximo dois filhos, os terceiros eram motivo de uma série de sanções sociais), irmão mais novo de Peter (um garoto muito inteligente, mas com traços sociopatas) e Valentine (também muito inteligente, mas sem a força necessária para fazer parte do programa militar). Quando ele pensa que foi dispensado do treinamento, é chamado para a Escola de Guerra, uma instalação no espaço feita para transformar crianças em máquinas de matar Insecta.

Na escola, Ender sente todo o peso de ser um prodígio: por ganhar todos os jogos – uma simulação de guerra em que grupos (alguém lembra de Harry Potter ou da série Divergente?) – se enfrentam pelo topo do ranking – passa a ser sabotado por colegas e professores, sempre empurrado para seu limite. Na Terra, Valentine tenta de tudo para conter o Peter, enquanto sente saudades do irmão mais novo.

Com uma leitura agradável para quem gosta tanto de videogames quanto de histórias no espaço, Scott Card acerta em usar crianças como seus personagens principais. Ao mesmo tempo em que estão em uma missão séria (salvar o planeta), vemos como relações de amizade, inveja e violência se desenvolvem em quem ainda está aprendendo sobre o mundo.

Durante a leitura, você fica o tempo todo querendo saber qual será a provação injusta que Ender enfrentará na próxima etapa de seu treinamento, e se surpreende com a verdadeira história do conflito entre os humanos e os Insecta. Isso sem falar na grande reviravolta do final. Há livros em que em algum momento da trama dá pra sacar o que está acontecendo. Este não foi o caso, pelo menos pra mim, com O Jogo do Exterminador.

O livro foi lançado inicialmente como uma novela em 1977. Em 1985, virou um romance que abocanhou os principais prêmios de ficção científica do ano seguinte, colocando Scott Card na lista de melhores escritores do gênero no século XX. Este universo teve ainda continuações como Orador dos Mortos, Xenocídio, Os Filhos da Mente, e Ender no Exílio.

Uma curiosidade: Entre 1972 e 1973, Scott Card morou no interior e na capital de São Paulo, como missionário mórmon. Em entrevistas ele conta que as ideias para alguns de seus livros surgiram por aqui e há personagens brasileiros em alguns de seus romances.

No Brasil, o Jogo do Exterminador foi lançado pela Aleph em 1991, em edição esgotada. Em 2006 foi vez da Devir colocar o livro em seu catálogo, que ganhou uma reedição em 2013, quando sua adaptação chegou às telonas (mas isso é assunto para uma outra resenha).

Nerd: Novo Nerd

O projeto (e a paixão) de uma equipe de Nerds que gosta tanto de suas esquisitices que não consegue se conter.Afie sua espada, prepare seu golpe poderoso, pegue seus power converters e embarque nesta estrada, porque, meus amigos, “it´s gonna be Legen… wait for it… DARY! LEGENDARY!” - SO SAY WE ALL.

Share This Post On