Venha trilhar O Caminho do Louco! | Resenha

Certa vez, um professor disse para a classe que nós, tradutores, não sabemos escrever. Não sei de onde veio tal afirmação, mas O Caminho do Louco, livro de Alex Mandarino, que descobri pela biografia na segunda orelha do livro ser um colega tradutor, é um excelente exemplo para provar o contrário.

SINOPSE: O brasileiro André Moire deixa tudo para trás para se envolver com um grupo internacional secreto que representa os arcanos do Tarot. Dispostos a elevar a consciência da humanidade e mudar o planeta, eles lançam mão de magia, ciência, arte, técnicas hacker e até mesmo parkour e videogames para enfrentar as forças da conformidade. Conheça o Louco, o Mago, a Sacerdotisa, o Carro, o Sol, a Imperatriz, o Imperador e vários outros arcanos maiores e menores neste thriller conspiratório com toques subversivos e sobrenaturais. Com uma trama sombria e misteriosa que ocorre em locais como Rio de Janeiro, Paris, México, Amazônia, Riviera e Inglaterra, Guerras do Tarot fará você pensar e repensar no que acredita. Comece neste livro a trilhar “o Caminho do Louco”.

Pontos Positivos:

Ao nos contar o começo da história de André e suas aventuras pelo mundo esotérico e misterioso que se abre quando ele finalmente tem coragem de deixar a carreira que não mais o fazia feliz para trás, Mandarino tem o dom de ser um escritor que nos guia pela história. Se o personagem esta em um carro em alta velocidade, a leitura fica veloz. Se ele quer omitir algo, você não vai perceber até se dar conta de que foi “enganado”. Adorei o modo como a personalidade de certos personagens mistura-se ao texto e como o autor sabe nos conduzir.

Gosto de livros que nos apresentam a novas culturas, novos valores, novos aprendizados. Interessei-me tanto por vários assuntos tratados no livro ao ponto de pesquisar um pouco mais sobre eles – e tô me segurando pra não citar alguns porque não sei o que seria ou não considerado spoiler, haha! É fantástico quando uma história nos provoca tal interesse. Fechamos o livro com novos conhecimentos e novas reflexões que só nos deixam ainda mais curiosos pela continuação da história!

Estou curiosíssima para continuar acompanhando o Louco em seu caminho pelo baralho. É como ver uma Alice bem diferente, mais moderninha e bem menos inocente cair pela toca do coelho e lidar com todo o tipo de coisas inusitadas e criaturas enigmaticamente sábias até encontrar um baralho mais “completo” do que o da Rainha de Copas!

Pontos Negativos:

Eu não chamaria exatamente de pontos negativos, estão mais para dificuldades que encontrei durante minha leitura. Para acompanharmos toda a maluquice em que o Louco está se metendo, temos que, assim como ele, aprender sobre esse mundo. E, em algumas partes, as explicações podem ser um tanto longas e densas. Eu, que costumo sempre viajar durante as leituras, por vezes me perdia ou me demorava muito mais nesses trechos para absorver bem toda aquela informação. O resto da leitura – principalmente as partes em que seguimos alguns arcanos em suas missões – é tão fluída que essas partes com mais explicações podem ficar mais pesadas, porque você quer logo vê-los em ação, haha! Mas as “aulas” são extremamente necessárias para a elucidação de André e a nossa própria, para que a ação possa ser vivida. É como minha querida Imperatriz diz: “Não espere que eu ou os outros arcanos lhe “ensinemos” coisas. O caminho do Louco seria uma viagem chatíssima se fosse recheada de “gurus” e proselitismo. Quem vai lhe ensinar algo é apenas você mesmo. Você e o que você enxergar, ouvir, processar, conectar, entender. Viver, enfim. A viagem do Louco é viver”.

Trechos Marcantes:

“A maioria das pessoas acredita que escolhas exigem muito, muito dinheiro. Elas estão erradas. Dinheiro facilita, é claro, mas, no fim das contas, é apenas um monte de papel de textura estranha e desagradável pintado com uma tinta verde ou cinza (…) escolhas envolvem apenas querer ter escolhas. Sim, é fácil dessa forma. Aquele velho clichê: para começar a andar, basta dar um ou dois passos e você já saiu do lugar”.

“Nunca confie numa pessoa que não goste de música. Nunca, jamais”.

“O mais importante que tenho a lhe dizer é isto: verdade, conhecimento (ou cultura) e os caminhos da natureza. São as três chaves para manter afastada a escuridão da ignorância e da infelicidade”.

“A vida é assim: tudo se liga, gira, se beija, dá voltas, dorme, se torce e acaba sendo a mesma coisa, ajoelhando-se em homenagem ao caos maravilhoso que governa tudo”.

(A diagramação do livro e as ilustrações de Fred Rubim são outros pontos positivíssimos que deixam a edição uma belezura!)

Estou ansiosa conhecer o restante dos arcanos e rever a Imperatriz, minha personagem favorita, hehe! Até o momento, não encontrei nenhuma informação sobre o segundo volume da série, mas continuarei de olho! ;) Já recomendei o livro para amigos próximos e fico muito feliz de trazer essa indicação para quem gosta de uma história cheia de lugares, culturas e experiências novas, reflexões, aventura e aquele toque de fantasia que se mescla tão bem com a realidade – cheia de conspirações!

Nota-do-crítico-4
(mais puxado pra um 4,5, viu!)

Entre para o nosso grupo no Telegram
Participe de sorteios EXCLUSIVOS colocando seu e-mail abaixo:

Nerd: Evelyn Trippo

I just have a lot of feelings, e urgência em expressá-los. Aspirante à escritora e estudante deslumbrada de Letras - Tradução. Pára-raio de nerds, exploradora de prateleiras em sebos e uma orgulhosa crazy pet lady.

Share This Post On